Averbamento (s. m.): Acto ou efeito de averbar; Nota lançada à margem de um título ou registo; Registo.

20
Mai 11

«Os patrões da indústria querem aumentar o número de horas de trabalho. O objectivo, defende a CIP - Confederação Empresarial de Portugal, é reduzir o "custo unitário do trabalho" para ganhar mais competitividade, um argumento que também já levou a organização patronal a propor o corte nas indemnizações por despedimento». No entender de António Saraiva, é ainda importante alterar «"a forma irrestrita como se encontra garantido o direito à greve", bem como a legislação que estabelece o direito de controlo de gestão pelas comissões de trabalhadores» (in DN Bolsa, Diário de Notícias).

 

E, perante isto, eu cada vez estou mais convencido que na escravatura os escravos tinham mais garantias e os patrões mais obrigações. Se não vejamos: o fruto do trabalho do dono dos escravos dependia directamente das condições em que se encontrava a sua mão-de-obra. Por isso, era obrigado a alimentar com um mínimo de condições o escravo, garantindo-lhe ainda algo parecido com um abrigo e uma cama. Hoje os trabalhadores pagam para se deslocar para o local de trabalho (seja em transportes públicos ou veículo próprio), trabalham muitas vezes diversas horas extraordinárias sem receberem nada em troca e, em muitos casos, à mínima contestação são, pelo menos, colocados na "prateleira dourada" da empresa ou, no limite, despedidos sem direito a qualquer indemnização (pronto, vá lá, nisto evoluímos porque os escravos que se portavam mal era chicoteados ou, no limite, mortos). Isto quando não fica inúmeros meses sem receber salário, vê a empresa fechar portas sem lhe pagar os créditos devidos e ainda tem de pagar para ir a tribunal reclamar aquilo a que tem direito (recebendo-o, muitas vezes, muitos anos depois).

Simultaneamente, não posso deixar de com alguma ironia sorrir, quando ficamos também a saber que, nas empresas cotadas em bolsa, «os administradores executivos ganharam, em média, 513 mil euros, contra os 297 mil euros dos não executivos. O gestor executivo mais bem pago levou para casa 3,1 milhões de euros, quase o dobro do não executivo, 1,6 milhões» (in DN Bolsa, Diário de Notícias). Ou, como se lê no Diário Económico, «cerca de 20 administradores acumulavam funções em 30 ou mais empresas distintas, ocupando, em conjunto, mais de mil lugares de administração, entre eles os das sociedades cotadas", lê-se no relatório anual sobre o Governo das Sociedades Cotadas em Portugal, ontem divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)».

publicado por Helder Robalo às 12:03

19
Mai 11

No mundo do futebol continuam as agressões, físicas e psicológicas, a jornalistas. O Sindicato dos Jornalistas emitiu hoje, dia 19 de Maio, uma nota dando conta da solidariedade para com a jornalista da TSF que esteve em Braga.

publicado por Helder Robalo às 16:53
Averbamentos: ,

16
Mai 11

A fusão das secções de Economia do “Jornal de Notícias” e do “Diário de Notícias” numa estrutura centralizada destinada a produzir a informação económica para diferentes órgão da empresa Global Notícias preocupa o Sindicato dos Jornalistas (SJ).

 

O comunicado da Direcção do Sindicato dos Jornalistas está disponível no sítio do SJ.

publicado por Helder Robalo às 16:05

As crianças persistentemente maltratadas e com depressões durante um período de tempo significativo poderão experienciar pensamentos suicidas, alerta um livro sobre bullying escrito pelo pai de uma criança vítima deste tipo de violência. "Proteja o seu filho do Bullying" é editado pela Porto Editora, em parceria com a Confederação de Associações de Pais (Confap), e escrito por Allan L. Beane, pai de uma criança vítima de bullying, o que contribuiria para o stress pós-traumático de que sofreu. Este jovem acabaria por se refugiar no consumo de substâncias tóxicas, levando-o à morte. "Compreendo a dor que sentem as crianças que são maltratadas e o sofrimento por que passam os seus pais. Quero acabar com a dor", escreve Allan L. Beane no livro que é apresentado hoje em Lisboa pela presidente da Pro Dignitate - Fundação para os Direitos Humanos, Maria de Jesus Barroso, que assina o prefácio.

O autor refere que, "quando uma criança é vítima de bullying, poderá ter medo de ir à escola. Poderá ficar doente no domingo à noite e enjoado na segunda-feira de manhã, só de pensar em ir para a escola e enfrentar os bullies [agressores]". "Cada dia é um campo de minas social, podendo ocorrer vários acontecimentos desconhecidos e potencialmente perigosos, até que o dia chegue ao fim", lê-se na obra de 240 páginas. Allan L. Beane dirige-se aos pais: "O medo, a ansiedade e o stress poderão levar o seu filho a fingir que está doente, a fugir da escola ou a faltar às aulas". Para o escritor, "qualquer conversa sobre suicídio deve ser levada a sério e merece atenção imediata".

Segundo Allan L. Beane, "o bullying também pode levar uma criança a aderir a um gangue, uma seita, um grupo intolerante ou a um grupo de toxicodependentes". Sublinha ainda que "o bullying é igualmente uma explicação recorrente para a maioria dos tiroteios nas escolas. Após anos de maus-tratos, algumas vítimas de bullying percorrem um caminho bastante triste e perigoso que as faz passar da dor à vingança". Entre os vários "sinais de alerta" que revelam que o jovem pode ser vítima, destacados pelo autor, encontra-se "uma súbita falta de interesse pelas actividades académicas, as suas notas baixarem, darem preferência à companhia de adultos, terem pesadelos e dificuldade em dormir, manifestarem raiva e irritabilidade, apresentarem lesões físicas inexplicáveis, faltarem às aulas, darem sinais de depressão ou de ansiedade". (Agência Lusa, via Diário de Notícias online)

publicado por Helder Robalo às 15:50
Averbamentos:

13
Mai 11
A Direcção do Sindicato dos Jornalistas (SJ) rejeita o acordo entre o Governo português, com o apoio do PSD e do CDS, e o trio FMI-BCE-CE, e manifesta a sua solidariedade e apoio a todas as iniciativas sindicais que visem combater as medidas previstas no acordo com a “troika”.
Em comunicado divulgado hoje, 13 de Maio, o SJ considera que o acordo com o trio Fundo Monetário Internacional / Banco Central Europeu / Comissão Europeia, para além de ser "uma declaração de capitulação e de alienação de soberania", atinge directamente a "vida das pessoas e das suas condições de sobrevivência". Os jornalistas não escapam a esta situação, refere o SJ, sublinhando que os profissionais dos média estão a viver o "pior período das suas vidas". 

Esta realidade tenderá a agravar-se, alerta o Sindicato, "se não formos capazes de mudar de rumo". 

É o seguinte o texto, na íntegra, do comunicado do SJ

 

publicado por Helder Robalo às 12:41

12
Mai 11

É esta a posição da direcção do Sindicato dos Jornalistas, num comunicado divulgado hoje, dia 12 de Maio.

 

Tudo porque o PSD " se propõe privatizar a totalidade do capital da agência noticiosa portuguesa e desmantelar e privatizar em grande parte os serviços públicos de rádio e de televisão, intenções que o Sindicato dos Jornalistas volta a repudiar de forma categórica".

 

O comunicado, na íntegra, pode ser lido no sítio do Sindicato dos Jornalistas.

publicado por Helder Robalo às 12:01
Averbamentos: ,

11
Mai 11

Intervindo na cerimónia de assinatura do acordo, entre a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), a Associação Portuguesa de Imprensa (API) e o SJ, Alfredo Maia alertou para os riscos de uniformização da informação e da despersonalização dos órgãos de informação, com a criação de estruturas centralizadas de produção para várias "marcas", chamando também a atenção para as consequências do desinvestimento na distibuição física de publicações:

Não será que, além de causas educativas, culturais e económicas que certamente estão na origem das quebras de vendas de publicações, a descaracterização e a despersonalização dos jornais – e falo da sua alma e não do seu espelho – estarão a contribuir também para afastar os leitores? (in sítio do Sindicato dos Jornalistas)

publicado por Helder Robalo às 16:21
Averbamentos:

07
Mai 11

publicado por Helder Robalo às 17:44
Averbamentos: ,

04
Mai 11

É possível conhecer, no sítio do Diário Económico, o entendimento do Governo com os representantes do FMI, do FEEF e da União Europeia. Trinta e quatro páginas e cortes, reduções e congelamentos, a troco de 78 mil milhões de euros.

publicado por Helder Robalo às 18:38
Averbamentos:

03
Mai 11
A Direcção do Sindicato dos Jornalistas (SJ), em mensagem divulgada a propósito Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que se assinala a 3 de Maio, lembra que permanece na ordem do dia a sua denúncia de que a concentração da propriedade dos meios de comunicação social, o poder absoluto das empresas e dos principais grupos, a degradação das condições de trabalho dos jornalistas, a ameaça de desemprego e a precarização crescentes representam sérias ameaças à liberdade e ao pluralismo.
publicado por Helder Robalo às 19:44
Averbamentos:

Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

15
17
18
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


comentários recentes
Não descontassem no salário e a adesão era bem mai...
Claro que aprovaria. Isto de decidir conforme os v...
o teu blog é muito bom vem visitar o meu
Fernando,Convido-o a visitar este meu outro espaço...
Obrigado :)
Parabéns pelo destaque :)
A cultura deve ser preservada a todo o custo. Por ...
Caro Pedro, obrigado pelo aviso e pelo destaque.Ab...
Mas se ao invés de o bloqueio ser não abastecer ne...
Bom dia,O Bloco de Averbamentos está em destaque n...
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO