Averbamento (s. m.): Acto ou efeito de averbar; Nota lançada à margem de um título ou registo; Registo.

30
Mar 11

Há três anos quase, um grupo de 30 jornalistas chegou um belo dia de manhã à redacção do Primeiro de Janeiro e deu com a porta fechada. Não puderam entrar no seu local de trabalho. Na véspera tinham ficado impedidos de aceder aos seus computadores. O patrão - que tem nome e se chama Eduardo Costa - não lhes pagou uma série de salários e deixou-os a contas com dívidas à Segurança Social, dos quais não era culpados, porque muitos contratos eram ilegais.

Durante vários dias desse verão quente sucederam-se os rumores e as notícias, chegando a envolver a própria ERC (que nada pôde fazer). Um dos quais que o jornal encerraria durante o mês de Agosto para reformulação gráfica, voltando no mês seguinte como título gratuito. Outro que o jornal encerraria em definitivo, pondo fim a 140 anos de história. Depois os relatos de que o jornal fechava no fim-de-semana para regressar na segunda-feira seguinte. Ao que se seguiram as notícias de que as edições seguintes, até à tal reformulação gráfica, seriam asseguradas pelos jornalistas de outra publicação detida por Eduardo Costa: O Norte Desportivo, cuja redacção ficava paredes meias com a redacção do Janeiro, forma como é mais conhecido o título.

Mas as surpresas não ficavam por aí. Outra das descobertas do grupo de cerca de 30 jornalistas foi que a entidade que os empregava - a Sedico - se encontrava registada numa morada falsa, pertencente a um antigo stand de automóveis. Uma história com contornos rocambolescos, que na altura relatei. No meio de tudo isto há um espólio enorme que não se sabe ainda muito bem o que lhe vai acontecer.

 

Ontem, quase três anos depois, os jornalistas, que moveram uma acção contra a empresa, pelo despedimento ilegal que sofreram no Verão de 2008, compareceram numa audiência preliminar no Tribunal de Trabalho do Porto. Eduardo Costa não. O caso continua a arrastar-se na Justiça.

Incompreensivelmente, o Estado português -  através do Ministério das Finanças e do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social -, um dos principais credos de Eduardo Costa (que se apresenta, imaginem, credor de si mesmo), nada parece fazer e as dívidas continuam a acumular-se.

publicado por Helder Robalo às 11:16
Averbamentos:

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

14
16
17
18
19

20
21
25
26

27
29
31


comentários recentes
Não descontassem no salário e a adesão era bem mai...
Claro que aprovaria. Isto de decidir conforme os v...
o teu blog é muito bom vem visitar o meu
Fernando,Convido-o a visitar este meu outro espaço...
Obrigado :)
Parabéns pelo destaque :)
A cultura deve ser preservada a todo o custo. Por ...
Caro Pedro, obrigado pelo aviso e pelo destaque.Ab...
Mas se ao invés de o bloqueio ser não abastecer ne...
Bom dia,O Bloco de Averbamentos está em destaque n...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

9 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO